19 de novembro de 2016

Blog da Geração de Conteúdo

Por que só um site lindo e novo em folha não basta

Sabe aquele seu amigo que tem um “sobrinho que faz site”? Você acaba de ver que ele te mandou uma mensagem no Whatsapp. Sem abrir, você já sabe de cor o que vem… mais uma oferta “iresistível”! Site Lindo, moderno e “antenado”? Mas não é que desta vez ele (o sobrinho) se superou? Um site […]

por Marcel Souza
fundador da Geração de Conteúdo

publicado em 19 de novembro de 2016
site inútil

Sabe aquele seu amigo que tem um “sobrinho que faz site”? Você acaba de ver que ele te mandou uma mensagem no Whatsapp. Sem abrir, você já sabe de cor o que vem… mais uma oferta “iresistível”!

Site Lindo, moderno e “antenado”?

Mas não é que desta vez ele (o sobrinho) se superou? Um site lindo,  moderno, antenado, por um valor que até que não é tão caro. Não tem erro. Uma fórmula dessa só pode alavancar seu negócio, não é mesmo? Espera aí. Dê uma olhada antes nestes dados, da Kissmetrics, analisando os sites tradicionais:

– Aproximadamente 96% dos visitantes não estão prontos para comprar: isso significa que eles vão sair do seu ambiente sem deixar nenhuma informação

– Você tem apenas 8 segundos para fisgar a atenção da sua audiência, caso isso não aconteça… Adeus, potenciais clientes!

– Mesmo que você faça um bom trabalho e otimize todas as páginas do seu site, dificilmente você converterá mais de 2% de seus visitantes

– Ou seja: 98% do seu esforço para atrair público é desperdiçado – e pode incluir sua atuação em mídia online, mídias sociais, SEO, propaganda ou qualquer outro canal.

Diante dessa realidade, o que deve ser feito afinal? A primeira solução mágica que aparece é: “Então vamos fazer um novo site, desta vez com uma empresa profissional!”.

Quantas vezes você já ouviu (ou até fez) essa sugestão? O problema é: depois que essa ideia é aprovada, ela se torna um pesadelo para todos; um elefante branco que só gera trabalho e prejuízo.

Um novo site não vai resolver os seus problemas!

O modelo atual de desenvolvimento de site está cada vez mais em xeque. Geralmente, este método se divide em quatro fases, que tomam muito tempo, esforço e dinheiro:

Fase 1

São meses de planejamento, design e programação voltados apenas para uma repaginada visual, sem aderência aos prospects ou foco em geração de leads;

Fase 2

Depois de tanto esforço, o site é lançado e estaciona: pelos próximos dois ou três anos, terá pequenas manutenções sempre sob o ponto de vista da empresa e não da audiência;

Fase 3

Chegamos ao ponto onde o site já está absolutamente desatualizado e defasado, jogando contra a imagem e os negócios da sua empresa

Fase 4

Voltamos à primeira reunião: diante da situação caótica, alguém sugere “Vamos fazer um novo site!” e lá se vai mais tempo, recursos e dinheiro, muito dinheiro, mais uma vez.

A solução mora perto da simplicidade, não só no dicionário

Mas existe uma potencial saída, mais econômica e comprovadamente mais rápida e efetiva, para ressuscitar de vez a sua presença digital e a transformar em mais um canal de geração de negócios: o Growth-Driven Design (GDD).

É uma estratégia digital de alto impacto nos resultados da empresa, tanto em vendas quanto em performance de marketing (especialmente quando aliada ao inbound marketing.

Saiba mais de GDD e como ela pode amplificar a presença digital de seu negócio neste post.

Comentários

comentários

Share This